quarta-feira, 7 de outubro de 2015

CONFIANÇA ou O TRISTE PROBLEMA DA SINCERIDADE ?

Exigimos sempre total sinceridade. E quase sempre temos aquilo que pedimos, o que ajuda bastante a aumentar a nossa confiança na outra pessoa. Ou em nós mesmos. 
O problema da sinceridade é quando ela mesma não é a nosso favor. Quando não vem com um elogio, uma palavra de apoio, um aceno de concordância, um sorriso de confirmação. O problema da sinceridade é sempre o mesmo: ninguém estar totalmente preparado para o pior.

Exigimos com frequência que nos digam a verdade. Que confiem em nós. Que nos digam o que pensam. E as perguntas nas quais temos mais esperança são sempre as mesmas:
- Amas-me?
- Tens alguém?
- Envolveste-te com alguém e não queres dizer?
- Tens problemas em ser sincero comigo? Sabes que podes dizer-me tudo.

E a esta última pergunta existe sempre a mesma resposta: NÃO. NÃO PODE.
Ser sincero é como casar. Sim, casar. Exige uma possível maturidade e preparação de ambas as partes, a pessoa que vai dizer o que realmente sente e a pessoa que vai ouvir. Se não estivermos preparados para ouvir o pior, ou no mínimo mentalizados, não podemos nunca exigir a tal sinceridade. 

E por isso muita coisa acaba. Porque exigimos algo que não estamos preparados para receber. Porque só é bom enquanto for a nosso favor, caso contrário causa discussão, afastamento. E atenção que não estou a dizer que devem contar tudo. Há coisas que não se devem dizer a não ser que impliquem sentimentos. E é nisso que toda a gente peca. Achar que a mentira magoa menos. 

Uma verdade, mesmo que seja muito má, é sempre uma verdade e faz-nos seguir em frente. A mentira corrói depois. Porque atrás de uma mentira vem a desconfiança. E atrás da desconfiança vem o medo. E o medo leva a que a pessoa esteja menos preparada. E volta ao início.

Mas ei, que percebo eu disto? Deixei de exigir sinceridade quando me apercebi que toda a gente é viciada em mentiras. Vamos a ver e é uma doença....

fonte: http://sexoecenas.blogspot.com.br/2015/09/confianca-ou-o-triste-problema-da.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário