quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Amar faz bem! Confira 10 surpreendentes benefícios do amor para saúde


Benefícios como menos resfriados, melhor controle do estresse e pressão sanguínea mais baixa são apenas o começo.
Amor e saúde estão entrelaçados de maneira surpreendente. Humanos são feitos para conectarem-se uns aos outros, e quando bons relacionamentos são cultivados (não apenas no campo amoroso), as recompensas são imensas.
“Não existe nenhuma evidência de que o intenso, apaixonado estágio de um novo romance é beneficial a saúde. Pessoas que se apaixonam dizem que se sentem maravilhosas e agoniadas ao mesmo tempo” diz Harry Reis, PhD, co-editor da Enciclopédia dos Relacionamentos Humanos. Ou seja, todo esse sobe e desce pode ser um ponto de partida do estresse.
Já uma forma de amor mais calma e estável ajuda a definir claramente os benefícios. “Existem evidências de que pessoas que estão em relacionamentos longos e satisfatórios se dão melhor em toda variedade de exames médicos”, afirma Reis.
A maior parte das pesquisas nessa área se concentra no casamento, mas Reis acredita que muitas desses benefícios se estendem a outras relações próximas, como amigos ou parentes. Ele afirma que a pessoa precisa se sentir conectada com outras, como parte de um grupo, além de respeitada e valorizada.

10 benefícios que o amor traz à saude

1- Menos visitas médicas
O Departamento de Saúde e Serviços Humanos revisou uma grande quantidade de estudos relacionados à saúde e casamento. Uma das descobertas mais impressionantes foi que pessoas casadas vão menos a consultas médicas e ficam menos tempo em hospitais.
“Ninguém sabe exatamente porque relações amorosas fazem bem a saúde. A melhor lógica é a de que seres humanos foram preparados para viver em grupos sociais unidos. Quando isso não acontece, o sistema biológico fica abalado” diz Reis.
Outra teoria pode ser a de que pessoas em bons relacionamentos cuidam melhor delas mesmas, e das outras. A esposa pode auxiliar seu marido com sua higiene bucal, ou um amigo pode indicar outro a consumir mais grãos. Com o tempo, esses bons hábitos significam menos doenças.
2- Menos depressão e abuso de substâncias tóxicas
De acordo com o relatório do Departamento de Saúde e Serviços Humanos, se casar e permanecer casado reduz os níveis de depressão tanto no homem quanto na mulher. Isso não é uma surpresa, já que o isolamento social está claramente ligado a altas taxas de depressão.
O interessante é que o casamento também contribui na diminuição do abuso de álcool e drogas, especialmente em jovens adultos.
3- Pressão sanguínea mais baixa
Pesquisadores descobriram que pessoas em casamentos felizes têm a melhor pressão sanguínea, logo em seguida os solteiros. E as pessoas em casamentos infelizes têm a pior pressão sanguínea. Esse estudo está nos Anais da Medicina Comportamental.
Reis disse que esse estudo ilustra um aspecto importante em como o casamento influencia a saúde: “É a qualidade do casamento, e não apenas o fato de estar casado, que afeta a saúde”. Isso apóia a idéia de que outros exemplos positivos de diferentes formas de relacionamentos possam ter benefícios similares.
Na verdade, solteiros com forte vida social também tiveram bom desempenho no estudo, embora não tanto quanto os casados e felizes.
4- Menos ansiedade
Quando o assunto é ansiedade, uma relação amorosa e estável é superior a um novo romance.
Pesquisadores da Universidade Estadual de Nova York utilizaram máquinas de ressonância magnética para analisar o cérebro de pessoas apaixonadas. Eles compararam casais recentemente enamorados com casais de longa data, fortemente conectados. Os dois grupos tiveram a parte do cérebro associada com amor intenso ativada.
“É o sistema de recompensa cerebral (área específica do cérebro com grande quantidade de dopamina), a mesma área que é ativada com a presença de cocaína ou quando a pessoa ganha muito dinheiro” diz Arthur Aron, PhD e um dos autores do estudo. Mas há uma notável diferença entre os grupos em outras partes do cérebro. Nas pessoas que possuem relações duradouras, também são ativadas áreas relacionadas a união, e áreas relacionadas a ansiedade são menos ativadas.


5- Controle natural da dor
Os estudos feitos em máquinas de ressonância magnética revelaram outro benefício para casais de longa data: mais ativação na parte do cérebro que mantém a dor sob controle.
Um relatório do Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) complementou essa descoberta: em um estudo feito com mais de 127.000 adultos, pessoas casadas eram menos propensas a reclamar de dores de cabeça e nas costas.
6- Melhor controle do estresse
Se o amor ajuda as pessoas a lidarem com a dor, como será com os outros tipos de estresse? Aron disse que existe evidência que relacione suporte social e controle de estresse. Se quando surge um fator estressante, a pessoa recebe suporte de alguém que ela gosta, ela lida melhor com a situação.
7- Menos resfriados
Já foi visto que relações amorosas diminuem estresse, depressão e ansiedade (o que deve gerar um impulso no sistema imunológico). Pesquisadores da Universidade de Carnegie Mellon descobriram que exibem emoções positivas são menos propensos a ficarem doentes depois de expostos ao vírus da gripe ou de resfriados. O estudo, publicado na Medicina Psicossomática, comparou pessoas felizes e calmas com aquelas que pareciam ansiosas, hostis ou deprimidas.
8- Cicatrização mais rápida
Pode ser que o poder de um relacionamento positivo faça feridas na pele cicatrizarem mais rapidamente.
Pesquisadores do Centro Médico da Universidade de Ohio examinou casais com bolhas nos pés. As feridas em cônjuges que interagiam harmoniosamente cicatrizaram até duas vezes mais rápido do que naqueles que demonstravam ser bastante hostis um com o outro.
9- Vida mais longa
Uma parte crescente da pesquisa indica que pessoas casadas vivem mais. Um dos maiores estudos examinou os efeitos do casamento na mortalidade durante um período de oito anos nos anos 90. Usando dados da Enquete Nacional de Saúde, pesquisadores descobriram que pessoas que nunca foram casadas estão 58% mais propensas a morrer do que pessoas casadas.
Aron disse que o casamento contribui para uma vida mais longa mais pela praticidade do sustento mútuo e dos benefícios financeiros, e também pelos filhos que proporcionam suporte.
Já Reis enxerga uma explicação emocional. O casamento protege as pessoas da morte por repelir sentimentos de isolamento. Pessoas casadas vivem mais por se sentirem amadas.
10- Vida mais feliz
Pode parecer óbvio que um dos maiores benefícios do amor é a alegria. Mas uma pesquisa está apenas começando para revelar o quanto essa ligação pode ser forte.
Um estudo no Jornal da Psicologia Familiar mostra que felicidade depende mais da qualidade das relações familiares de uma pessoa do que do nível do salário que ela recebe.

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Você concorda? Pesquisa diz que namoro deixa as mulheres mais gordas



Só se o namoro for ruim, vale lembrar. Num relacionamento feliz os dois engordam juntos.
A pedido da UKMedix, uma farmácia online britânica, pesquisadores entrevistaram homens e mulheres que namoravam há mais de um ano. Todos eles contaram se haviam engordado ou emagrecido desde o começo do namoro.
Entre os homens, a tendência era de perda de peso: 39% diziam disseram ter emagrecido depois do namoro. Já a maioria (43%) das mulheres engordava: ganhavam, em média, 3 quilos no primeiro ano de relacionamento. Em comparação, só 29% dos homens ficavam mais gordinhos.
Mas e daí? Gordas ou magras, as mulheres se sentiam mais felizes após o início do relacionamento (afinal, se estivessem mais tristes, melhor seria ficarem sozinhas, não?). Tanto faz o que diz a balança.

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Venha aproveitar bons momentos na suíte sado-erótica!

Liberte os seus extintos mais alucinantes... Aqui na suíte sado-erótica, as suas fantasias se tornam realidade e os seus desejos mais insanos vêm à tona te proporcionando uma explosão de prazer

Conheça um pouco mais da suíte: 









quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Metade dos brasileiros não está satisfeita com a vida sexual


Quando o assunto é sexo, nem sempre quantidade significa qualidade. Mais da metade dos brasileiros (51% dos homens e 56% das mulheres) está insatisfeita com a própria vida sexual, embora grande parte (49%) declare manter relações mais de três vezes por semana. Os dados são da pesquisa Durex Global Sex Survey, inédita no Brasil (outros 36 países participaram) e divulgada ontem.
O estudo concluiu que as principais causas da insatisfação são a existência de problemas sexuais e, principalmente, a dificuldade em admiti-los. Tanto homens (65%) quanto mulheres (63%) disseram ter dificuldade de compartilhar, seja com o parceiro ou com um especialista, algum fator que trave a qualidade do sexo.
Entre as queixas relatadas pelos entrevistados na pesquisa, estão relações muito rápidas, pouco tempo para aproveitar preliminares e também dificuldade para atingir o orgasmo.

‘Satisfazer a parceira é uma obrigação’
Apesar dos altos índices de insatisfação, a pesquisa revelou ainda uma mudança de paradigma na forma como o brasileiro encara o prazer sexual, avaliou a psiquiatra Carmita Abdo, coordenadora do Programa de Estudos em Sexualidade da Universidade de São Paulo (USP). Sete em cada dez homens afirmaram que satisfazer a parceira é uma obrigação. A mesma regra vale para 53% das mulheres.
Embora eles queiram dar prazer a elas, apenas 22% delas disseram que sempre atingem o orgasmo, enquanto 28% contaram conseguir chegar ao clímax com mais facilidade por meio da masturbação, em vez do ato sexual.
— Ter um orgasmo depende do quanto a mulher conhece do próprio corpo e dos pontos em que gosta de ser tocada. Construir esse autoconhecimento e comunicá-lo ao parceiro é fundamental. Mas (o orgasmo feminino) também depende do homem. Se ele não consegue manter a ereção, acaba tendo muita dificuldade de fazer preliminares mais longas, o que poderia deixar a mulher mais excitada. Ou seja, cuidar para prevenir problemas de disfunção erétil e ejaculação precoce é muito importante — explicou Carmita Abdo, que analisou todos os dados da pesquisa.

* Por Camilla Muniz - jornal Extra

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Atenção mulheres: Solteiros estão tomando mais cuidado na hora da paquera



Quando você vê um homem lindo no bar, como se comporta: fica de sorrisos e olhares na direção dele torcendo para que ele a perceba ou o aborda logo de cara? Dizem por aí que agora os solteiros estão preferindo ir com menos sede ao pote na hora de encontrar um novo amor.

Uma pesquisa feita pelo site de relacionamentos Par Perfeito descobriu que 76% das mulheres e 65% dos homens preferem observar o "alvo" quietinhos em seu canto até que notem uma abertura para se aproximar. Apenas 14% delas e 25% deles revelaram que gostam de chegar chegando, sem medo do que vai acontecer.

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

'Viagra feminino’ poderá estar no mercado em 2015


Um tipo de viagra feminino poderá estar nas prateleiras em 2015, segundo a Orlibid, empresa britânica que desenvolveu a droga.
- Ela funciona tanto para mulheres com disfunção sexual quanto para aquelas apenas interessadas em apimentar o sexo - comentou ao “Daily Mail” Mike Wyllie, integrante da equipe que criou o Viagra e que está assessorando a empresa britânica.
Companhias farmacêuticas já conhecem o efeito da melatonina - hormônio que tem como principal função a regulação do sono e a recuperação de céluas epitelias e neurônios - na libido, mas têm tido dificuldade em encontrar uma forma de produzi-la em formato de pílula, em vez de injeção. Essa pílula é uma versão sintética de melatonina, que age no cérebro para aumentar o desejo.
A Orlibid pretende realizar três novos estudos para medir os efeitos da droga em mulheres. Tomada 15 minutos antes do sexo, a pílula aumenta o desejo sexual por mais de duas horas. A empresa também investiga se ela poderia ajudar homens impotentes que não reagem às drogas existentes.

Fonte: O Globo

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

5 zonas erógenas masculinas para fazê-lo alcançar o prazer máximo



Sexo bem feito é uma troca e, por isso, ter prazer é tão importante quanto proporcioná-lo ao parceiro. E se você quer descobrir algumas armas capazes de fazê-lo enlouquecer, nós damos a dica: aposte nas zonas erógenas. Elas muitas vezes passam despercebidas, mas se tocadas podem fazer com que ele se excite muito mais e chegue ao ápice do prazer.

O que é?

Zonas erógenas são partes do corpo que se tornam pontos de excitação graças à grande sensibilidade da região. Isso se dá devido à presença de vasos sanguíneos que fazem com que essas partes sejam muito irrigadas de sangue e, consequentemente, mais sensíveis ao toque.

Como enlouquecer um homem

Homens e mulheres têm zonas erógenas diferentes. Enquanto a coluna vertebral, o pescoço, as orelhas, seios, entre os braços, parte interna das coxas e pés se mostram regiões excitantes para elas, eles já se sentem mais instigados se tocados em outros pontos (indicados logo abaixo). A grande dica é: use qualquer parte do seu corpo para tocá-las, mas lembre de que eles preferem que o toque seja mais preciso e firme.

“Para acariciar as zonas erógenas dos homens é preciso ser mais direta. Ao contrário das mulheres, que preferem estímulos menos ligados ao órgão genital, eles gostam muito mais do toque mais próximo ao pênis”, conta a sexóloga Carla Cecarello.

Zonas erógenas do homem

Coluna vertebral – Ponto importante para apostar durante as preliminares em um homem. Uma dica para acariciar a região é passar levemente as unhas ao longo de todas as costas enquanto beija o parceiro. Comece pelos ombros e vá descendo. Você vai perceber ele se excitando a cada centímetro que sua mão se aproxima das partes baixas.

Pescoço – Beijos, mordidas, lambidas e tudo mais é liberado nessa parte do corpo. Assim como nas mulheres, esse tipo de carinho arrepia e faz com que a sensibilidade fique à flor da pele, deixando o homem querendo cada vez mais.

Mamilos – Não são todos os que sentem prazer nessa região, mas a grande maioria pode gostar de uma carícia no bico do peito. O importante é fazer o teste e observar a reação dele. Se uma mordidinha o fizer gemer, pode ser o caminho certo.

Períneo – Poucos conhecem, mas o períneo é importante até mesmo para a saúde. No homem, ele fica localizado entre o saco escrotal e o ânus e é uma região supersensível e, em alguns, o toque nele pode dar uma sensação de enorme prazer. A regra é a mesma dos mamilos: faça o teste!

Virilha – Essa é a principal zona erógena masculina, justamente por aquela característica apontada pela sexóloga: os homens gostam de toques mais próximos ao pênis. Depois de percorrer todas as outras partes que apontamos, chegue devagar à virilha e faça carinho de leve com as unhas, beije e dê mordidinhas, instigando bastante antes de tocar realmente onde ele quer. Não vai dar outra: ele estará à mil para uma das melhores transas da vida. 

Bolsa de Mulher

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

É bom e te deixa mais inteligente!!



Se só pensar em sexo já faz bem ao cérebro, imagine praticar. Pesquisadores da Universidade de Maryland imaginou o mesmo. E testou – em ratos de meia-idade, é verdade, mas testou.
A primeira missão deles foi avaliar a capacidade de formação de novos neurônios, que declina de acordo com a idade, nos bichinhos participantes. Em seguida, permitiram a metade deles fazer sexo durante um período, enquanto outro grupo não pode fazer nada. E, olha só, após os testes, os ratos que haviam feito sexo produziam mais neurônios novos.
Ainda não se sabe ao certo qual é a explicação, mas o sexo parece estimular as atividades cerebrais, entre elas as funções cognitivas. Ou seja, deixa você mais inteligente.


Super interessante

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Comece 2014 curtindo bons momentos na suíte sado-erótica!!

Inicie 2014 a todo vapor!! Venha aproveitar momentos inesquecíveis na nossa suíte sado-erótica. Aqui, o prazer não tem limites...

Conheça um pouco mais da suíte: