quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Homens e mulheres têm fantasias sexuais diferentes



Pense na maior loucura que você conseguir imaginar quando o assunto é sexo. Além de eventualmente fazer corar as bochechas, pensar em uma situação dessas não faz mal nenhum. E é assim com as fantasias sexuais. Toda pessoa saudável imagina situações sexuais que ainda não colocou em ação. Das práticas mais corriqueiras às inusitadas, em cenários reais ou fictícios, com o marido ou um astro da TV ou do cinema, a imaginação não precisa ter limites.
Independente da idade, todos têm fantasias sexuais. Mas homens e mulheres fantasiam de formas diferentes. As fantasias masculinas em geral são voltadas especificamente para o ato sexual, direto ao ponto. “Os homens tendem a desenvolver fantasias associadas aos genitais, ao coito e às circunstâncias pornográficas”, diz o psicólogo Oswaldo Rodrigues Jr, diretor do Instituto Paulista de Sexualidade.

As fantasias femininas têm uma tendência ao romantismo, ao afeto e às situações que levam até a transa. “Embora este conceito esteja mudando, mesmo as mulheres mais independentes levam o envolvimento emocional para as fantasias. Elas se libertam de amarras e preconceito na imaginação, mas têm um olhar mais romântico”, diz o ginecologista e sexólogo Amaury Mendes Júnior, professor e médico do ambulatório de sexologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Isso não significa, porém, que há algo de errado com a mulher que tem fantasias mais pornográficas, nem com o homem que tem fantasias românticas.

Se na imaginação as fantasias sexuais não precisam ter limites, na hora de transportá-las para a realidade alguns cuidados devem ser tomados. “A melhor fantasia sexual é a que não ofende nem prejudica as pessoas envolvidas”, diz a terapeuta sexual Imacolada Marino Gonçalves. O consenso entre você e seu parceiro é fundamental, pois algumas coisas que você considera excitantes podem ser desestimulantes para ele.

Delas IG

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Confira alimentos que vão te deixar mais ativo e saudável!



O sexo, como toda e qualquer atividade física do nosso corpo, consome energia e exige bastante do dos músculos, sistema respiratório e cardiovascular. Afim de garantir uma vida sexual e ativa, é necessário cuidar da alimentação. Dependendo da “empolgação” o homem chega a perder 400 calorias numa relação sexual.
Alguns alimentos além de repor energia, podem aumentar o desejo e também a ereção, no caso do homem.
O chocolate, por exemplo, ajuda na liberação da endorfina (hormônio responsável pela sensação de bem-estar).
Veja alguns alimentos e entre já na dieta do sexo, saiba em que eles podem ajudar na hora de um dos seus “esportes” favoritos.



Faça e procure consumir sempre
5 refeiçôes ao dia:
Alimente-se bem, o jejum associado ao esforço físico pode levar à hipotensão (pressão baixa) e à hipoglicemia (baixa de de açucar no sangue).
Laticínios, carne e chocolate:
Possuem óxido nítrico, uma substância que  dilata os vasos sangüineos e ajuda na ereção.
Amendoim, catuaba, tomate e hortelã:
Esses vão fazer com que seu prazer aumente, pois contém feniletilamina, substância responsável pela sensação de prazer. O amendoim além disso, também vai ajudar a repor as energias, pois é altamente calórico, contém também vitamina B3, outro vaso dilatador.
Canela, cravo, noz-moscada, pimenta, mostarda, alecrim, gengibre, ginseng:
Servem para estimular o apetite e os sentidos. Ótimos para criar um clima. Gengibre e ginseng servem para aumentar a disposição.
Ostra:
Possui zinco, substãncia que ajuda a aumentar a proçucão de testosterona, o hormônio sexual masculino.

Consuma com moderação:
Bebidas alcoólicas:
Em pequenas quantidades melhora a libido. Mas nada de entortar o caneco.

Evite ao máximo:
Gordura saturada:
Doces, frituras e carnes gordas favorecem a formação de placas de gordura, que prejudicam a circulação.
Comer demais:
Nada de se empanturrar, se você fizer isso, vai acabar concentrando a irrigação sangüineo para a digestão, de modo que vai atrapalhar na hora do sexo.
Repolho, brócolis, couve-flor, feijão:
São fermentativos e acabam causando gases, evite ao máximo para não causar constrangimento na hora H.
Curiosidade: muitos já ouviram que ovo de codorna melhora o desempenho sexual. Isso é MITO, não favorece em nada na hora do vamos ver.

Tutomania

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Suíte sado-erótica: Aqui o seu prazer é garantido!

Um lugar onde as suas fantasias se tornam realidade e os seus desejos mais insanos vêm à tona te proporcionando uma explosão de prazer

Conheça um pouco mais da suíte: 









sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Saiba mais sobre a clamídia: uma ameaça à fertilidade feminina



Reconhecida pela OMS (Organização Mundial da Saúde) como a principal causa evitável de infertilidade, a clamídia é uma doença sexualmente transmissível muito comum. O grande problema, porém, é que grande parte das mulheres não se preocupa com ela. Transmitida pela bactéria Chlamydia trachomatis, é silenciosa e, na maioria das mulheres, não causa nenhum tipo de sintoma aparente. “São poucos os casos em que ela provoca febre, cansaço, sangramentos e dor durante a relação sexual”, explica Maria Cecília Erthal, especialista em reprodução humana e diretora-médica do Vida – Centro de Fertilidade da Rede D’Or. 

Em grande parte das vezes, ela só dá as caras quando a infertilidade bate à porta. Isso acontece porque todo o processo infeccioso da doença pode obstruir as trompas e causar infertilidade, ou evitar que o óvulo fecundado chegue ao útero, originando uma gravidez tubária, que pode resultar no rompimento das trompas e iniciar o processo de hemorragia interna. 

A médica explica ainda que os exames ginecológicos de rotina e o papanicolau não são capazes de detectar a doença, por isso é importante que você peça ao seu médico para investigar. “É necessário realizar exames para encontrar anticorpos no sangue, ou para descobrir fragmentos de DNA da doença no colo uterino para se realizar o diagnóstico da clamídia. E para manter um controle eficiente, o ideal é se consultar pelo menos duas vezes ao ano”, recomenda a profissional. 

Sobre os tipos de tratamento, Maria Cecília explica que quando descoberta em fase inicial, o quadro de infertilidade pode ser revertido. Nos casos mais avançados, em que não é possível realizar o tratamento com medicamentos, a única alternativa para as mulheres que desejam engravidar é recorrer aos procedimentos de fertilização in vitro. 

A especialista alerta que para evitar qualquer tipo de doença, a maneira mais eficaz de se proteger é usar camisinha em todas as relações sexuais.


Boa Forma

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Psicólogo revela fórmula para manter um casamento feliz



Viver a dois é uma arte. Saber lidar com os desafios de estar casado hoje em dia é o que o psicólogo Luiz Alberto Hanns propõe no livro “A Equação do Casamento - O Que Pode (ou Não) Ser Mudado na Sua Relação” (Editora Paralela), uma coletânea dos temas de conflito e convergências do casamento compilados ao longo de seus 20 anos de experiência clínica.
Palestrante com os cursos mais disputados na Casa do Saber, centro de debates em São Paulo, o autor, que atualmente ministra uma série de encontros sobre o tema iniciada no final do mês passado, sugere que cada um monte a sua própria equação do casamento, com base em negociações e ajustes de desejos próprios e do(a) companheiro(a). Enxergar as fortalezas e vulnerabilidades da relação e entender o que pode ou não fazer você feliz no casamento depende de seis fatores.

Parcial na maioria dos casamentos, a compatibilidade psicológica é o primeiro deles. “É muito raro existir um casal totalmente compatível”, analisa Luiz. Um tipo de desencontro muito comum é um cônjuge ser perfeccionista e o outro, bagunceiro. “Diferentemente das uniões do século 20, em que as pessoas se conformavam com seus status, no casamento contemporâneo as pessoas se incomodam mais e precisam aprender a negociar com suas diferenças”, avalia.

Saber lidar com divergências sem ter de brigar é do que trata o segundo fator, que são as competências do convívio a dois. Daí a importância de seguir uma etiqueta de casamento e convívio, que preserva o casal e estabelece a conexão com o parceiro. Hanns acredita que manter boas maneiras propicia o aumento da taxa de satisfação e, consequentemente, a redução na de divórcio.

A varinha de condão de uma relação moderna, que ajuda a ajustar as complementaridades, são os graus de consenso, o terceiro fator. “A maioria dos casais tem um grau médio de consenso. A principal divergência diz respeito a direitos e deveres de gênero e educação de filhos”, aponta. Aliás, este é o grande motivo dos conflitos matrimoniais, pois a maioria dos casais tem altas expectativas em relação a gostos e interesses em comum.
De novo, na época dos nossos avós não era bem assim. No casamento patriarcal os casais eram mestres em se conformar com seus modelos de vida. “Eles não eram mais felizes do que nós, apenas eram mais satisfeitos com o modo que viviam”, explica. Os usos e costumes eram mais claramente estabelecidos e o casamento era indissolúvel. “Hoje qualquer briguinha é motivo para pedir a separação. Isso porque as pessoas se incomodam muito mais”.
O ponto quatro é a vida sexual, que pode ser incrementada para não se tornar uma tumba matrimonial. “As competências do convívio a dois não garantem o tesão, mas ajudam a manter o que existe e não destruí-lo”, relaciona o terapeuta. A conexão emocional pode ajudar muito com as assimetrias sexuais. Talvez porque ao longo do casamento as pessoas não vivam na cama: há filhos, zeladorias domésticas, lazer. Portanto, não basta que apenas a cama seja boa.

O quinto fator é o estresse. São os filhos problemáticos, desemprego, problemas financeiros e até parentes invasivos. Como frustrações externas são comuns na vida moderna, Hanns alerta que as pessoas estão mais e mais nervosas. “Elas tendem a se tornar agressivas, intolerantes e associar o parceiro a zeladorias chatas e o amante a momentos gostosos e leves”.

Logo, quanto mais o casal tiver fontes de gratificações externas, como vida social divertida, sucesso no trabalho, vida familiar gratificante, melhores são as chances de não sobrecarregar a relação com as frustrações. “Casais harmônicos que têm tudo podem sucumbir e se separar se forem submetidos a um excesso de estresse”, diz.

O sexto fator tende a manter o casal mais unido. Trata-se das vantagens de estar casado. “Este ajuda o casal a tolerar mais, em prol do valor que se atribui a estar casado”, explica. As razões são diversas: seja porque são dependentes do cônjuge ou porque têm medo de viver sozinhos. Para avaliar seu casamento e descobrir se ele é ótimo, médio ou insuportável, some todos os fatores. Ao descobrir o peso de cada um deles, o casal saberá o que poderá ou não ser mudado em sua relação, desde resgatar uma união em crise a lidar com um caso de infidelidade, passando pelo ajuste da sintonia sexual.
Erros e soluções

Para superar as divergências, Hanns aconselha ouvir o outro e construir um caminho junto ao cônjuge, aquele que contemple o consenso. “É preciso entrar no conflito de maneira leal”, recomenda.

Portanto, não se pode usar uma comunicação destrutiva, atribuindo intenções negativas ao outro. “É importante ser específico ao dizer como se sente e ater-se ao mérito da questão”.

Um grande erro que pode marcar o resto do casamento é antipatizar, fazer intrigas ou falar mal de parentes e amigos do cônjuge. “Tem que ser agregador nas relações familiares e sociais”, Hanns pontua.

Zombar do parceiro e fazer comparações com outras pessoas em público também é um dos pecados do casamento. “Faça piadas sobre si mesmo e fale sempre a partir da própria experiência”, recomenda.

Não há problema em errar. Mas é fundamental aprender a pedir desculpas, manter a conexão emocional e a empatia com o parceiro. De tempos em tempos, o especialista aconselha o casal a instituir uma conversa em que cada um possa dizer ao outro do que sente falta, puxando sempre pelo lado positivo. “Manter o contato e a abertura para entender as necessidades do companheiro é importantíssimo”, diz Hanns, que finaliza: “Acima de tudo, não se pode querer do outro o que ele não pode dar”.

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Regras do relacionamento que você deve quebrar


O fato de estar comprometida não pode tornar sua vida uma chatice, cheia de “nãos” para todos os lados. Ok, trai-lo ou maltratá-lo está fora de cogitação, mas olhar para o lado e até se permitir um surto de TPM são mais do que necessários. Por isso, fizemos uma lista de regras que você pode — e deve — deletar.

Fingir que não viu aquele gatinho na rua
Só porque o seu namorado está esperando você para jantar, não significa que você não pode admirar a paisagem. Dar uma olhadinha no modelo que passou no seu lado pode até ser inspirador.

Sexo só no instante ideal
A sua vida é uma correria. A dele não é diferente. Resultado: cada vez menos sexo. Vocês não precisam ficar sempre à espera do momento perfeito para dar o bote um no outro. Experimente marcar um horário na agenda mesmo. Combine com ele que, na quinta-feira à noite, vocês terão um tempinho especial para os dois. Isso não vai acabar com o tesão, e sim, aumentar as expectativas para que esse dia chegue logo.
Dormir de bem, sempre
É comum nós mulheres querermos resolver todos os conflitos dentro de casa. Mas se dê ao direito de ir para a cama brava, sim. Ninguém é perfeito e todos os casais brigam. Você tem todo direito de, vez ou outra, se deixar levar pelas emoções.

Ceder, sempre
Às vezes um “Está bem...” é mais fácil do que prolongar a DR, não é mesmo? Mas essa regra vale para os dois. Logo, você não precisa ser sempre a primeira (e única) a ceder.

Esquecer que um dia teve um ex
Se seu ex foi um sacana e deixou você mal, não resta outro conselho além de “delete-o da face da terra”. Agora, se vocês terminaram ainda mais amigos do que antes, não tem porque cortar relação. Nem que seja porque o atual exigiu. Explique para ele que o amor já se foi e que sobrou uma amizade apenas e ponha fim nos ciúmes dele.

O meu segredo (senha, login, código de desbloqueio do celular, conta na rede social) é seu
Lembre-se: vocês estão em uma relação, mas não se tornaram gêmeos siameses. Mentir é errado, mas compartilhar cada mini centímetro da sua vida é, simplesmente, desnecessário. Por que ele precisaria ter a sua senha do Facebook ou E-mail? E para que ele precisa saber tudo o que você conversou com a sua amiga ao telefone? Esse tipo de comportamento demonstra falta de confiança entre o casal.
M de Mulher

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Menos peso pode levar a uma vida sexual melhor


Mulheres que emagreceram após a cirurgia bariátrica ganharam uma vida sexual mais satisfatória. Esta é a principal conclusão preliminar de um estudo realizado pela Escola de Medicina da Universidade da Pennsylvania e publicado no início do mês.
Dois anos após o procedimento, as mulheres relataram melhorias na excitação, lubrificação, desejo sexual e satisfação sexual geral, de acordo com a pesquisa.

Exames de sangue também mostraram que as mulheres tinham aumentado seus níveis de hormônios sexuais, levando os pesquisadores a supor que a perda de peso maciça poderia melhorar a fertilidade feminina.

A melhora na vida sexual das mulheres provavelmente ocorreu porque a perda de peso melhorou a forma como elas se sentiam física e emocionalmente, disse o David Sarwer, principal autor da pesquisa e professor nos departamentos de Psiquiatria e Cirurgia da Escola de Medicina.

“A sexualidade é uma área em que nosso comportamento está na intersecção do que está acontecendo conosco fisicamente e o que estamos vivenciando psicologicamente”, disse Sarwer.

Metodologia e resultados

Cerca de metade das mulheres que procuram a cirurgia bariátrica apresentam sinais de disfunção sexual, segundo os autores do estudo, que envolveu 106 mulheres com índice de massa corporal (IMC) médio de 44,5 submetidas à cirurgia bariátrica. Pessoas com IMC de 40 ou superior são consideradas extremamente obesas.

Das pacientes , 85 foram submetidas à cirurgia de bypass gástrico e 21 ao procedimento de banda gástrica.

Após a cirurgia , as mulheres perderam uma média de 32,7% do seu peso corporal inicial durante o primeiro ano, e de 33,5% até o final do segundo ano .

Até o final do primeiro ano, as mulheres também começaram a relatar melhorias no prazer e na função sexual. Elas também tinham melhorado a autoestima, se sentiram menos deprimidas e estavam mais confortável com sua imagem corporal.

A vez dos homens

As melhorias ocorreram antes de as mulheres alcançarem a sua meta final de perda de peso, segundo os pesquisadores notaram. “Este é um aspecto importante, que mostra a interação entre o físico e o psicológico quando o assunto é sexualidade”, disse Sarwer. “Você melhorou os níveis de hormônio criando essa rápida melhora ou será que elas estão se sentindo melhor consigo mesmas? Ou é uma combinação dos dois?”, questionou.

Um especialista não envolvido no estudo disse que as descobertas iniciais fazem sentido.

“Perder peso permite equilibrar os hormônios sexuais que controlam o ciclo menstrual”, disse o médico Jaime Ponce, presidente da Sociedade Americana de Cirurgia Bariátrica e Metabólica. “Isso permite experimentar a melhoria da função sexual”.

No entanto, Ponce destacou que um estudo mais amplo, com uma amostragem maior de pacientes, precisa ser conduzida.

Sarwer disse que um segundo estudo com foco em homens está sendo preparado para publicação no próximo ano.

É muito provável que os homens também relatarão melhorias em sua sexualidade após a cirurgia bariátrica, disse ele, mas complicações físicas podem impedi-los de desfrutar a mesma diferença que as mulheres.

“Nós sabemos que a obesidade e suas doenças relacionadas podem ter um efeito sobre a disfunção erétil e, a longo prazo, a obesidade pode causar danos ao tecido erétil”, disse ele.

Os autores do estudo observaram que os resultados completos serão apresentados em 14 de novembro, em um congresso em Atlanta, Estados Unidos. Sarwer informou que ele é consultor de fabricantes de produtos para o tratamento de perda de peso, tanto por meios não-cirúrgicos como pela cirurgia bariátrica.

Delas Ig

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Dicas para incrementar a relação


É sempre tempo de incrementar o sexo. E para ajudar nessa busca por mais prazer, preparamos uma seleção com ideias quentes para “incendiar” a sua relação. Confira!

Saia da cama 
Talvez não haja mesmo melhor lugar para fazer sexo do que a cama. Mas isso não significa que não se pode mudar de cenário de vez em quando. Nem precisa ir muito longe, você pode começar a brincadeira no banheiro de casa ou em uma suíte de um motel.

Aposte nos brinquedos eróticos 
O vibrador é o mais conhecido dos brinquedinhos eróticos, mas não é o único apetrecho disponível nas sex shops brasileiras. Numa visita a qualquer uma delas, você vai encontrar com certeza algo que agrade você e a sua cara-metade. Não precisa nem sair de casa, já que muitas dessas lojas são virtuais.

Invista em fantasias 
Segundo especialistas em sexo, homens e mulheres têm estilos diferentes na hora de realizar fantasias sexuais . Elas são mais românticas e gostam de situações que as possibilitem fugir da realidade, criando enredos. Já os rapazes são mais diretos e fantasiam sobre os órgãos genitais e o sexo em si. O segredo da boa transa é equilibrar estes dois jeitos.

Apimente sua biblioteca 
A trilogia “Cinquenta Tons” virou febre entre mulheres de todas as idades. Mas as estantes das livrarias não são preenchidas apenas com as aventuras de Christian Grey e Anastasia Steele. Existe no mercado uma variedade enorme de outros livros que, além de divertir, podem atiçar o seu desejo.

Conheça o desejo dele (a) 
Além de investir no nosso prazer, é bom não deixar de lado o desejo do outro. Saber o que o parceiro gosta ajuda a tornar a brincadeira bem mais divertida. E a astrologia e a numerologia podem ajudar a descobrir esses segredos.

Mude de posição 
Ele já tem mais de mil anos e mesmo assim ainda pode ensinar muito para as mulheres e os homens. O lendário texto indiano Kama Sutra traz uma série de diferentes posições sexuais que podem te ajudar a fugir da mesmice do “papai e mamãe”. Dá até para propor uma minimaratona de posições para o (a) parceiro (a).

Delas Ig

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Afrodisíaco natural: o poder da melancia



A melancia, além de ter fibras e muita água, possui citrolina, uma aminoácido estimulante sexual.
Investigando a fruta, pesquisadores do Centro de Aprimoramento de Frutas e Vegetais da Universidade A&M do Texas (EUA) descobriram que ela é rica num fito nutriente reconhecido como vasodilator: a citrulina, uma substância vasodilatadora e relaxante vascular, encontrada principalmente na casca, na parte branca e nas sementes.
E alguém imagina como a citrulina é usada na indústria farmacêutica? Como um dos componentes do Viagra, pois é! O melhor é que ela também tem efeito no corpo das mulheres, então, pode se jogar.

Os ingredientes do suco

Dica importantíssima: não coloque sal, nem açúcar e nem adoçante pois eliminam totalmente as propriedades afrodisíacas.

Como fazer:

Bata no liquidificador a melancia com a parte branca e com as sementes, sem adição de água. Coe depois. Transfira o suco de melancia para uma panela, espere levantar fervura e deixe ferver por cerca de 4 minutos.
Adicione o limão
Na sequência, esprema um limão grande, sem as sementes, diretamente sobre o suco fervente. Misture bem, e deixe fervendo até que o líquido se reduza à metade. Desligue o fogo, e espere esfriar por cerca de uma hora. Passe a porção afrodisíaca para a garrafa, e guarde na geladeira.

Hora certa de beber
Quando for beber o afrodisíaco caseiro esteja com o estômago vazio, e de preferência, em jejum. Repita a dose antes do jantar.  Beba sempre que considerar necessário.

Os resultados
A mistura de substâncias químicas presentes nas duas frutas (melancia e limão) acelera o envio de sangue para “o espaço privado” do seu corpo, aumentando o desempenho e a força sexual.

Tempo de mulher

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Assuntos que interessam os casais satisfeitos!


As conversas de um casal satisfeito devem ser variadas e leves. Assuntos pesados podem ser evitados, mas discutidos quando necessário. O importante é se sentir livre para discutir o que você tiver vontade com o seu parceiro e contar para ele o que você quiser sobre sua vida. Quando um casal é livre pra discutir quaisquer assuntos, isso é um grande sinal de que se dão bem e que tem uma sintonia maravilhosa.

1 – Coisas das quais eles têm vergonha. Ora, se você não puder compartilhar os momentos embaraçosos nem com o seu parceiro, com quem é que você os compartilhará? Não tenha medo de parecer ridículo, esses momentos ainda vão fazer vocês dois se divertirem muito juntos, rindo dos acontecimentos embaraçosos.

– Política. Só porque vocês são um casal, não significa que precisam concordar na visão política ou deixar esse assunto de lado. Discutir sobre isso enriquece a gama de assuntos do casal e ambos podem contribuir dando sua opinião de forma educada e positiva – sem ofensas.

– Inseguranças de cada um. Todo mundo tem seus medos e inseguranças e compartilhar isso com quem a gente ama nos dá mais força e ânimo para lidar com os desafios da vida. Portanto, não tenha medo de conversar com ele sobre aqueles assuntos mais delicados e que mexem com você – ele pode te ajudar a superar estas barreiras.

4 – Infância. Uma das maneiras de conhecer o outro à fundo é conhecendo o que a pessoa viveu nos primeiros anos de vida. Muito do que aconteceu no passado pode explicar a personalidade e atitudes da pessoa no presente. Se você deseja entender mais sobre seu parceiro, não pule o assunto infância.

5 – Relacionamentos anteriores. Esse é um assunto que casais bem resolvidos falam sobre sem criar problemas entre eles. É claro que não é necessário ficar falando sobre isso com frequência ou comparando relacionamento anterior ao atual, mas se o assunto vier à tona, fale sobre ele sem “grilos”.

6 – Família. Ao compartilhar uma vida, é normal, natural e adequado compartilhar o assunto família. Falar sobre os momentos bons e ruins que se vive com a família ajuda a estreitar os laços entre o casal e ajuda ambos a superar os momentos mais delicados.

7 – Atualidades. Bater papo com o seu parceiro sobre notícias e coisas que estão acontecendo no momento é uma ótima maneira de variar os assuntos discutidos e sair um pouco dos assuntos que circulam a vida do casal. Assim, vocês evitam cansar dos assuntos de sempre.

8 – Música, livros, filmes. Falar sobre as coisas que você gosta relacionadas à cultura e entretenimento também uma boa escolha de assunto para casais. Desde que vocês não briguem por que gostam de coisas diferentes e que não achem que ambos tem que gostar da mesma coisa, a conversa fluirá e ambos conhecerão coisas novas e se enriquecerão com a conversa – culturalmente falando.
Vale ressaltar que um casal feliz não precisa esconder coisas um do outro. E também se vocês ainda não discutem os assuntos citados acima, não se desespere. Use as ideias para incluí-las em seu dia-a-dia com o seu amor e variem ainda mais seus papos. Investir em um bom relacionamento é investir em qualidade de vida. Casal feliz é casal que vive melhor.

Fonte: Dicas de mulher

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Suíte sado-erótica Vênus Motel!

Um lugar onde as suas fantasias se tornam realidade e os seus desejos mais insanos vêm à tona te proporcionando uma explosão de prazer

Conheça um pouco mais da suíte: 









quarta-feira, 6 de novembro de 2013

HPV - Saiba como se prevenir


HPV. Estas três letras são a abreviação de papiloma vírus humano, uma doença sexualmente transmissível que engloba cerca de 100 vírus diferentes. A infecção por HPV é comum, atinge homens e mulheres e pode ter consequências sérias.
O principal sintoma é o aparecimento de verrugas na boca, garganta e na região genital (vulva, ânus, colo do útero). A ginecologista e obstetra do Hospital e Maternidade São Luiz, Dra. Poliani Prizmic, explica que estas lesões podem ser de alto risco, quando precedem o surgimento de câncer do colo do útero e do ânus, ou de baixo risco, se não estiverem relacionadas ao surgimento de tumores malignos.

Transmissão e Prevenção 
A transmissão do vírus acontece por via sexual, inclusive pelo sexo oral. É importante ressaltar que nem sempre a pessoa infectada apresenta verrugas aparentes, por isso, o uso da camisinha ainda é a melhor forma de prevenir a doença. Em alguns casos, o vírus é eliminado espontaneamente antes que a pessoa saiba que está infectada. Além disso, já existem vacinas capazes de proteger dos dois tipos de vírus que mais frequentemente causam câncer de colo de útero. Recém-nascidos podem adquirir o vírus caso a mãe seja portadora e tenha lesões genitais ativas. Por esta razão, o parto normal não é recomendado para gestantes nesta condição. Exames ginecológicos, como o Papanicolau, conseguem detectar alterações precoces no colo do útero e devem ser feito rotineiramente por todas as mulheres. Se a doença for diagnosticada, é importante que a mulher informe o parceiro para que ambos procurem um tratamento.

Tratamento para HPV
O tratamento para HPV pode ser clínico, com o uso de cremes e medicamentos via oral que aumentam a imunidade das células, ou cirúrgico, com cauterização química ou elétrica. Em casos de câncer, o paciente será encaminhado para um tratamento específico.

Bolsa de Mulher

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Esquente a relação temperando o romance


Sempre ouvimos que para quebrar a monotonia que assombram os casais é preciso temperar a relação, ser mais criativo, temos inúmeros conhecimentos, porém pouca prática. Para quem está iniciando um namoro nada precisa ser feito, pois o sentimento que os une nessa fase chega a ser afrodisíaco, para os que já estão juntos há muito tempo vale o alerta, pois a monotonia pode acabar com o maior dos amores. Existem muitas fórmulas, dicas, sugestões para apimentar a relação, mas será que resolvem mesmo?
Alguns entendidos no assunto, afirmam que existem maneiras para animar a energia sexual do casal e vale à pena lembrar que o que predomina é o bom senso, se a relação entre vocês está fria, e você amiga leitora, nunca lançou mão de nenhum artifício sedutor, de nenhum fetiche, cuidado, vestir-se agora com uma fantasia pode não causar o efeito que você desejaria que causasse, ao invés disso, use uma lingerie bem sensual, homens adoram quando nos vestimos para eles, isso sim pode causar um efeito devastador, reserve um dia só para vocês, a iniciativa pode partir de ambos, nada de ficar esperando que o outro tome a iniciativa, leve os filhos para casa dos avós, dispense a empregada, prepare o ambiente para a sedução, isso fará muito bem a vocês.
Esfriar a relação às vezes é até normal, tem vezes que o sexo não flui tão fácil e são muitos os fatores que contribuem para isso, os problemas do dia a dia, estresse, nesses momentos o importante é criar situações que recupere o desejo de estarem juntos, crie novidades como programas românticos ou passeios cheios de segundas intenções, viagens, conta muito a criatividade do casal e o desejo de saírem da mesmice.
Agora fique atenta ao que está deixando sua relação esfriar, problemas pessoais ou conjugais precisam ser resolvidos para que vocês possam entrar no clima de sedução, muitas vezes é necessário apimentarmos nossa vida com encantos, pois para quem não se gosta, não se valoriza, ser sedutor é uma missão das mais impossíveis.

Fonte: Mundo mulheres

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Dê um basta no ciúme e na desconfiança


ciúme quando controlado e na dose certa pode fazer bem ao casal, afinal quem ama cuida, zela e se importa com a relação, porém é preciso entender e diferenciar o ciúme saudável do doentio e a principal pista é quando o relacionamento já não está bem.
O ciúme doentio fatalmente deteriora qualquer relacionamento, gera um sentimento de medo diante a uma possível traição, por isso a possessividade é tão comum, passamos a agir como se outro fosse propriedade nossa e junto ao ciúme doentio aparecem outros sentimentos como ansiedade, raiva, depressão, insegurança, culpa, vergonha, uma necessidade em saber constantemente o que o parceiro está fazendo, onde está, com quem está, chegando ao ponto de segui-lo e vasculhar a agenda, bolso e celular em busca de algum indício de traição.
Algumas atitudes podem ajudá-la a controlar o ciúme, é importante sempre parar e refletir, observar se há realmente motivos concretos para o ciúme, por isso antes de despejar suas frustrações no outro, pare e pense, pois com a emoção a flor de pele geralmente falamos muitas bobagens, nos excedemos e passamos do limite.
Antes de cobrar explicações e brigar, converse com seu parceiro, é de extrema importância ouvir o que outro tem a falar, diga tudo o que pensa de forma franca, porém com tranquilidade, não tenha medo de mostrar-se insegurança.
Procure atividades prazerosas que não envolvam somente seu companheiro, busque diverti-se com suas amigas, por exemplo, e permita que seu companheiro tenha vida social também, afinal é impossível conviver com uma pessoa que nos mantém acuados o tempo todo.
Procure envolver-se em alguma atividade, pratique esporte, faça um curso, trabalhos voluntários ou artísticos, tudo é válido para que não fique focada em seu relacionamento vinte e quatro horas, alimentando o ciúme e a insegurança.
Não fique se comparando a outras mulheres, invista em você, use roupas bonitas, arrume o cabelo, lembre-se autoestima é tudo!
Não queira bancar a mãe, zelar, cuidar é querer bem, porém querer ser dona do outro é demais, sendo este um sinal evidente de insegurança e ciúme demasiado.
Dentro de um relacionamento confiança é à base de tudo, portanto, confie no seu parceiro, sempre que sentir-se insegurança ou com ciúme, converse com ele, exponha seus sentimentos sem medo, evitando brigas e desconfianças.
Antes de ficar alimentando o ciúme, observe-se e analise o real motivo para o que está sentindo, será que tem a ver com motivos reais ou são frustrações e inseguranças geradas por relacionamentos passados?
Não valorize demais a quem você ama, lembre-se que todos nós somos propensos a erros, todos nós temos defeitos e não se esqueça que a segurança que busca no outro, também existe em você.
Num relacionamento em que o ciúme impera ambos sofrem, pois o ciumento, devido a sua dor moral, atormenta o seu parceiro, protagonizando escândalos e até mesmo partindo para agressão, fique atento e antes de chegar a tal ponto é conveniente buscar ajuda médica, para avaliar se a relação está mesmo valendo à pena.

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Dicas para evitar a rotina no relacionamento



Mais cedo ou mais tarde acontece a todos os casais: a rotina instala-se e longe vão os dias apaixonantes em que não havia tempo suficiente para fazerem e dizerem tudo o que queriam. Agora, encontram-se no final do dia, em cima do sofá, em frente à televisão, onde jantam e acabam por adormecer… se este é um cenário familiar, continue a ler e saia já dessa rotina.
 
O ser humano – mulheres e homens – foi feito para criar e manter rotinas, é uma forma inteligente de organização e um bem necessário para o nosso cotidiano. Porém, deixa de ser tão essencial quando se trata de relacionamentos. Embora um pouco de rotina nos traga conforto e segurança, há que estar atenta porque quando em demasia pode comprometer a saúde da relação. E quanto mais longa for a relação, maior a tendência para estarem confortáveis. Ou seja, quando uma relação vai de escaldante a tépida, a culpa pode muito bem ser da rotina e há que transformar o previsível em espontâneo. Precisa apenas de uma boa dose de energia, criatividade e motivação –experimente algumas das seguintes sugestões, dê umas férias à rotina e devolva um pouco de magia aos momentos que passa a dois.
 
Saiam sozinhos: Sim, deixe-o em casa uma vez por semana e saia com as amigas para jantar, ir ao cinema ou simplesmente tomar um café. Encoraja-o a fazer o mesmo com os amigos dele. Para além de saírem da rotina, vão ter coisas para contarem e, a melhor parte – saudades um do outro! Há quanto tempo não tem saudades da sua cara-metade?
 
Inscrevam-se num curso: Querem melhor quebra-rotina do que participarem num curso ou workshop em conjunto? As possibilidades são mais do que muitas: danças de salão, arte, línguas, curso de vinhos ou de culinária, jardinagem, clube de leitura… Se não conseguirem decidir, escrevam todas as possíveis hipóteses em pequenos papéis, coloquem-nos num cesto, tirem um à sorte e inscrevam-se nesse mesmo! Não vale fazer batota, o desafio é mesmo esse e não há forma mais eficaz de combater a rotina do que fazer algo inesperado. Repitam várias vezes ao ano ou sempre que sentirem a necessidade de fazer uma coisa nova.
 
Noite surpresa: Determinam um dia por semana e batizam-no de “noite surpresa” ou qualquer outra coisa, sendo que a ideia é cada um ter de preparar uma surpresa para o outro e podem alternar cada semana. Pode ser um jantar romântico em casa ou num restaurante em outra cidade onde vão encontrar amigos que não vêem há muito tempo; pode dar-lhe uma massagem ou ousar com um sensual striptease. Não há limites, mas há que caprichar… para ele retribuir em grande estilo também!
 
Saiam de casa: O “nesting” é um fenômeno que tem ganho cada vez mais adeptos – as pessoas renderam-se ao ficar em casa. Embora isso seja exatamente o que possam estar a precisar de vez em quando, não é o programa ideal para dia sim, dia sim. Façam questão de fazer planos para o fim-de-semana em vez de ficarem o sábado inteiro de pijama a ver televisão: peguem no jornal e vejam que exposições, museus ou feiras podem visitar – algo que desperte o vosso interesse; passem tempo ao ar livre – um passeio a pé pela cidade, no campo ou na praia; combinem uma saída para lanchar com os vossos pais, irmãos ou amigos. Vençam a preguiça e aproveitem tudo o que há para fazer lá fora!
 
Cuidem-se: Quando é que foi a última vez que viu a sua cara-metade bem vestido e perfumado, pronto para sair? E quando é que foi última vez que você usou um vestido e uns saltos altos para sair com ele? Pois é, as aparências também contam e muito! Fazer aquele pequeno esforço para estar sempre bela e apetecível é uma das formas mais rápidas e eficazes de acabar com a rotina. 
 
Mais e/ou melhor sexo: Há quanto tempo não vê o seu homem nu? E não, aquela “rapidinha” às escuras de há um mês atrás não conta… Há quem diga que grande parte do sucesso de uma relação se baseia no sexo e não na falta dele. Esta é uma das áreas da vida amorosa que pode rapidamente transformar-se numa rotina desinspirada e até indesejada, por isso mesmo, de vez em quando há que injetar ação debaixo dos lençóis – será uma lufada de ar fresco na relação que dificilmente esquecerá e da qual dificilmente se cansará. Rotina? Qual rotina?
 
Conversem: Crie o hábito de desligar a televisão à hora de jantar e proporcione outro ambiente para o vosso primeiro encontro no final de mais um dia: ponha a mesa na sala de jantar, acenda algumas velas, ligue música de fundo e abra uma garrafa de vinho. Não sabem do que vão falar? Comecem por dizer um ao outro qual foi o ponto alto e ponto baixo dos vossos dias. A televisão não vai fugir e podem sempre ver o telejornal mais tarde…
 
Riam: Se rir é o melhor remédio será, certamente, uma boa cura para qualquer rotina. A rotina desencadeia o tédio, o tédio desencadeia a frustração, a frustração desencadeia a discussão e depois há que lidar com a rotina e uma zanga. Lembrem-se daqueles bons velhos tempos quando tinham sempre um sorriso nos lábios um para outro? Quando se riam por tudo e por nada, quando se divertiam com pouca coisa? Este gênero de regresso ao passado é mais do que bem-vindo e uma excelente maneira de rejuvenescer a vossa relação, muito mais do que discutirem sobre coisas banais como quem acabou com o papel higiénico ou quem esqueceu-se de levar o cão à rua.
 
Fonte: Entre Mulheres