sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Ex-atriz pornô lança livro com ‘abordagem diferente’ de ‘50 tons de cinza’


Em um passeio movimentado no Centro de São Paulo e na porta de um hotel de luxo, próximo à Avenida Paulista, ninguém interrompeu o passo para olhar a morena de camisa branca e sapato de salto alto. Aos 25 anos, a ex-atriz pornô Sasha Grey não segue o que ela mesma chama de "modelo Jenna Jameson", ícone pornô de cabelos loiros e seios grandes. Sasha não tem as curvas de "mulher-fruta" que atraem grande parte dos brasileiros.
Em mais de 270 filmes eróticos, a norte-americana fez sucesso fugindo do padrão do mercado, tanto de medidas corporais quanto de ousadia na atuação. Ela começou se reinventando aos 18 anos, quando trocou o nome Marina Ann Hantzis por Sasha Grey - mistura de Sascha Konietzko, líder da banda alemã KMFDM, e Dorian Grey, personagem do escritor irlandês Oscar Wilde.
Após abandonar a atuação em filmes pornô em 2011, Sasha Grey quer se reinventar novamente. Emplacar na literatura faz parte dos novos planos, que trazem a norte-americana ao Brasil. O G1 passou uma manhã ao lado de Sasha, logo após sua chegada a São Paulo, na terça-feira (20), para divulgar seu primeiro romance erótico, "Juliette Society". O livro tem longas passagens eróticas, mais picantes do que o sucesso "50 tons de cinza", e tem um triângulo amoroso que põe em xeque relações entre sexo e política.
Além do livro, ela atua em filmes evitando os estereótipos de "ex-pornô". O suspense "Open windows", que ela estrela com Elijah Wood (o Frodo de "Senhor dos Anéis"), está em finalização. Ela também quer produzir o filme de "Juliette society" e uma série de TV, na qual cogita usar financiamento do público pelo site Kickstarter.
Em entrevista na van entre o hotel em que ficou hospedada em SP e a gravação de um programa de TV, Sasha atacou o feminismo e explicou os boatos de que é brasileira. Acompanhada de uma guia de turismo, ela se mostrou interessada no Brasil. Ela pediu para a reportagem anotar o nome de Bruna Surfistinha em seu celular ao saber da história de Raquel Pacheco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário