quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Cirurgia íntima: como se fosse a primeira vez

Cada vez mais mulheres estão recorrendo à cirurgia plástica para solucionar imperfeições capazes de derrubar a autoestima. A lipoaspiração elimina aquela gordurinha que a malhação demora a suavizar, implantes de silicone aumentam a aparência dos seios e do bumbum e é possível até colocar a gordura dos pneuzinhos em outras partes do corpo.
O que poucas sabem, no entanto, é que é possível eliminar as imperfeições mais íntimas com a ajuda de um bom profissional. As cirurgias plásticas íntimas têm conquistado um número cada vez maior de mulheres que buscam resolver problemas que, mais do que incômodos estéticos, podem prejudicar a saúde e afetar a autoconfiança. Entre eles estão o tamanho excessivo dos pequenos lábios vaginais, gordurinhas a mais no monte de vênus ou mesmo o alargamento da vagina em virtude do parto.
Para aquelas quem acreditam que os procedimentos íntimos são supérfluos, os números são um forte argumento contrário. Uma pesquisa realizada no segundo semestre de 2011 e publicada no International Journal of Obstetrics and Gynaecology, a procura pelas cirurgias plásticas do tipo crescem constantemente.
Nos Estados Unidos, são feitos mais de 1,5 milhão de procedimentos nos órgãos genitais femininos todos os anos, tendo aumentado cinco vezes nos últimos dez anos. No Reino Unido, esse número é de 1,2 milhão. No Brasil, não é diferente: nos últimos dois anos, a procura pelas intervenções cirúrgicas íntimas cresceu 50%.

Quais os riscos das cirurgias íntimas?

Para quem não consegue conviver bem com certos detalhes íntimos do corpo, a boa notícia é que as cirurgias plásticas para esses problemas apresentam poucos riscos. Segundo o cirurgião plástico Márcio Onida, que é membro especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, eles são quase inexistentes.
A chance de sangramentos e infecções é baixíssima e os cuidados a serem tomados são poucos. Ele alerta, no entanto, que as pacientes devem seguir todas as recomendações médicas para evitar problemas como abertura de pontos ou sangramentos.
Vale lembrar que, para a maioria das cirurgias íntimas estéticas, não há risco de perda de sensibilidade ou da capacidade de lubrificação.

Vantagens e benefícios dos procedimentos

A lista de pontos positivos das cirurgias íntimas acaba sendo maior que os negativos, tendo em vista que os riscos são praticamente inexistentes. Entre os benefícios, estão aspectos psicológicos, como a melhora da autoestima e da vida sexual da paciente, que se sente mais confiante entre quatro paredes.
Quanto ao aspecto físico, a eliminação de dores que podiam existir em relações sexuais ou no contato com a roupa são eliminados, favorecendo a qualidade de vida feminina.
E a grande vantagem de recorrer a esses procedimentos é que eles são bastante simples. Onida explica que as cirurgias podem ser feitas apenas com anestesia local e sedação, sendo que as pacientes recebem alta no mesmo dia e podem voltar à vida normal rapidamente. Basta seguir as indicações médicas e usar um absorvente adequado, que amenize desconfortos.
O cirurgião enfatiza que a recuperação é rápida, pois em uma semana o desconforto causado pela cirurgia tende a sumir completamente. A principal restrição do pós-operatório é quanto às relações sexuais (que devem ser evitadas por pelo menos 30 dias) e à prática de atividades físicas, principalmente treinos de bicicleta.
A recuperação simples pode ser, inclusive, um fator de motivação para aquelas que sentem vergonha em admitir que recorreram ao procedimento, pois, como é possível manter a rotina nos dias após a cirurgia, ninguém precisará saber que ela foi feita.
Fonte: Toda Ela

Nenhum comentário:

Postar um comentário