domingo, 28 de dezembro de 2014

Aprenda a transformar uma DR em algo positivo para sua relação



A temida DR, a discussão de relacionamento, é algo que o pai da psicanálise, Sigmund Freud, chamava de "a mais generalizada degradação do objeto na vida amorosa". Mas por que discutir o relacionamento costuma ser algo temido por alguns homens e cultuado por boa parte das mulheres?

Para Ana Canosa, psicóloga clínica e terapeuta sexual, homens simplesmente não sabem discutir a relação porque não aprenderam a avaliar emoções e comportamentos em relação aos outros e muito menos a dividir isso numa conversa franca. Já as mulheres estão acostumadas a falar de intimidades com amigas, mas homens, quando conversam com homens, falam de carro, futebol, trabalho.

"Enquanto elas precisam aprender a dizer o que pensam e querem, e fazer isto na hora certa e de maneira objetiva em vez de deixar que o copo transborde, eles precisam aprender a prestar atenção nelas e a ser menos acomodados", analisa a psicóloga, autora do livro "A metade da laranja – Discutindo amor, sexo e relacionamento". E quais são os erros que casais devem evitar na hora de uma DR?
A doutora em Psicologia do Desenvolvimento Humano pela USP (Universidades de São Paulo), Cristiane Moraes Pertusi, explica que ataques, agressões verbais e físicas, não saber ouvir o outro até o final, tirar conclusões precipitadas, trazer questões do passado, perder a objetividade do que está sendo falado, querer que o outro concorde com você ou esperar mudar a opinião do outro são alguns dos danos fatais para que um DR seja destrutiva aos relacionamentos.

"Casais acabam gerando mais desentendimento porque acumulam questões e conflitos passados e misturam tudo em uma única conversa. Assim, esperam convencer o outro de sua ideia opinião porque geralmente atacam o outro de maneira crítica", explica a especialista. Para a colunista de sexo e relacionamento do Tempo de Mulher, Regina Racco, os casais normalmente nunca planejam sua conversa porque querem evitar a todo custo conversar e só procuram o caminho do diálogo quando a "bagagem" já está pesada demais.

"Eles somam mágoas sobre mágoas e só procuram o caminho do diálogo quando a 'bagagem' já está pesada demais. Normalmente não planejam a conversa, apenas extravasam tudo que represaram durante muito tempo e o resultado disso não pode ser nada bom", avalia Regina, que também é professora de Ginástica Íntima, palestrante e autora dos livros "O livro de Ouro do Pompoarismo", "A Conquista do Prazer Masculino" e "Sexo para Mestres na Arte da Sedução".


Tempo de mulher

Nenhum comentário:

Postar um comentário