quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Invista em alimentos afrodisíacos



Muitos alimentos estão relacionados ao aumento do desejo sexual, são os chamados alimentos afrodisíacos. São considerados afrodisíacos os alimentos cujo agente químico, aroma, sabor, textura ou cor remetem ao estímulo ou desejo sexual. Veja alguns deles: 

Abacate
A fruta que os astecas costumavam chamar de “terceiro testículo” é rica em ácido fólico, que ajuda no metabolismo de proteínas, garantindo a você mais energia. Ela também contém vitamina B6, que aumenta a produção de hormônios masculinos, e potássio, que, além de aumentar a libido tanto masculina quanto feminina, ajuda a regular a produção de hormônios da tireóide em mulheres.
Como apreciá-lo: uma das melhores opções é como creme, batido no liquidificador com um pouco de açúcar, adoçante ou leite condensado.



Mangas, pêssegos e morangos
O que pode ser mais gostoso que morder uma fruta doce e suculenta como essas? Provavelmente fazê-lo antes (ou até mesmo durante) o sexo. Todas as frutas acima são eroticamente sugestivas quanto à forma, à textura e ao sabor e pode ser muito divertido usá-las como parte das preliminares.

Como apreciá-las: experimente espremer seus sucos no corpo de seu parceiro e “bebê-los” diretamente dele.



Ostras
Esse é um afrodisíaco clássico. Ostras são ricas em zinco, que aumenta a produção de testosterona, além de dopamina, outro hormônio que aumenta a libido. Se for ousado, tente incluir ostras em suas preliminares.

Como apreciá-las: cruas, geladas e regadas com suco de limão.

Fonte: Segredos da cama

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Beijo exercita, queima calorias e revela segredos sobre o relacionamento



Uso da língua é termômetro para entender envolvimento do casal


Se seu relacionamento não vai bem, qualquer um à sua volta pode perceber isso com facilidade se você der um beijo no seu parceiro. É, você pode até tentar, mas não tem como disfarçar. O beijo é o grande termômetro para saber se o casal está apaixonado e o movimento da língua diz muito sobre o envolvimento.

A afirmação é da sexóloga Carla Cecarello, que explica o motivo. “O beijo é muito importante em uma relação, porque é sinônimo de intimidade. Um beijo xoxo, sem língua, significa que o relacionamento está muito frágil e frio”. Segundo a especialista, um beijo de língua demonstra mais paixão. “Tem calor, tem entrega. Um beijo bom, que reflete um bom relacionamento, é quando uma língua está dentro da boca do outro, com muita intensidade”.

“Existe uma frase antiga que diz: ‘Beijo é igual a ferro de passar roupa, liga em cima e acende em baixo’. E é exatamente isso!”. A brincadeira da profissional serve para entender que o toque de duas bocas apaixonadas é capaz de ativar o desejo sexual, garantindo a ereção no homem e a lubrificação vaginal na mulher. “Com um beijo prolongado, a mulher avalia a sensibilidade do homem e seus dotes de bom amante. Beijar é uma intimidade tão intensa quanto à do ato sexual. É um contato físico que às vezes provoca sensações mais excitantes e prazerosas do que o sexo puramente genital”, analisa Carla.

Mas beijar não é bom só por isso. Fisiologicamente falando, um único beijo movimenta 29 músculos: 12 dos lábios e 17 da língua. As pulsações cardíacas dobram, saltando de 70 para 140 por minuto e, conforme a intensidade, é capaz de queimar de 3 a 12 calorias. Quer atividade melhor do que essa?

“É muito importante que o casal nunca se esqueça de que o namoro deve continuar existindo num relacionamento, independente do tempo. Um amor de verdade deve sempre permitir trocas afetivas”, finaliza a sexóloga.

Bolsa de Mulher

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Sexo e saúde combinam mais do que você imagina!




Sexo é tão vital para a saúde quanto comer, dormir e fazer exercícios, garantem médicos e psicólogos. Até a própria Organização Mundial da Saúde (OMS) dá destaque ao tema, colocando a atividade sexual como um dos índices que medem o nível de qualidade de vida. A verdade é que, entre outras coisas, a prática alivia as tensões, ajuda no combate à depressão, revitaliza o corpo, estimula a mente e ainda queima calorias (cerca de 300 por hora!), pois se trata de um excelente exercício aeróbico e anaeróbico. Uma das responsáveis por esse saudável turbilhão é a endorfina - substância liberada durante o ato -, que mexe com os mecanismos cerebrais que controlam o humor, a resistência ao stress e à dor e, principalmente, as sensações de prazer.
Saúde e sexo são praticamente sinônimos. Quem possui uma vida saudável apresenta um desempenho sexual satisfatório. As pessoas que têm relações com regularidade conseguem equilibrar seus hormônios e estimular suas potencialidades. Consequentemente são mais felizes com elas mesmas.

PARA TER MAIS PRAZER



  • Cuide da saúde: diabetes, hipertensão, problemas cardíacos e deficiências hormonais, assim como ansiedade e depressão são inimigos do sexo. 
  • Melhore sua comunicação sexual. E seja 'didático', ou seja, fale claramente o que gosta e o que não gosta na cama, revele seus desejos e inseguranças.
  • Não descuide da aparência. Não perca o respeito pelo próprio corpo. 
  • Evite a rotina e não torne a relação sistemática e previsível. Solte a imaginação e diversifique com fantasias e brincadeiras. 
  • Não leve problemas do dia-a-dia para a cama. Se não for possível se desligar deles, melhor deixar o sexo para outra hora. 
  • Tenha bom senso para não responsabilizar o outro pelos seus fracassos. 
  • Anote: férias, exercícios, sexo, tempo, alimentação e fantasia são 'prescrições médicas' para se obter satisfação sexual. 
  • Esqueça regras rígidas. Cada casal é único e deve criar suas próprias diretrizes.

Fonte: Viva Saúde

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Saiba dados reveladores sobre a traição



Ao dizer o “sim” para o parceiro no dia do casamento, com certeza a intenção da maioria dos casais é seguir o “felizes para sempre”. Porém, nem sempre é fácil vencer a rotina, que acaba tornando o relacionamento monótono e difícil de ser levado adiante.
Nesse contexto, muitos acabam se rendendo ao flerte com colegas de trabalho, amigos ou mesmo desconhecidos como uma forma de deixar a vida amorosa e sexual mais interessante. O problema é que a infidelidade envolve quebra da confiança e é um dos motivos para que a relação chegue ao fim.
Apesar do risco, pesquisas mostram que a maioria dos casais já passou por um caso de infidelidade, por mais que a parte traída não saiba disso. Os motivos para preferir um caso extraconjugal para fugir da monotonia em vez do divórcio variam, assim como as razões para procurar um amante.
E encontrar alguém disposto a ter um caso sem compromisso parece cada vez mais fácil. As redes sociais que ajudam os comprometidos a apimentar a relação por meio de flertes sigilosos já chegaram ao Brasil conquistando mais de 100 mil usuários em poucos meses.
Confira abaixo o que as pesquisas sobre o comportamento dos infiéis têm a revelar e descubra se a traição pode realmente ser uma alternativa para fugir da rotina.
Para descobrir o perfil dos inscritos, o Second Love realizou uma pesquisa com mil deles. Entre esses, 70% eram homens e a faixa etária predominante (36%) era entre 30 e 39 anos. A maioria também declarou ter curso superior completo (54%) e seguir os princípios do cristianismo (48%). Os paulistas lideram as inscrições, seguidos por cariocas e mineiros.
Entre os comprometidos, 27% declararam que são casados há mais de 10 anos, em uma relação fechada (82,5%) e que não revelam suas aventuras extraconjugais ao parceiro (70%). Ao que parece, a monogamia anda em baixa entre os usuários, já que mais da metade deles (56%) afirmou não acreditar nela.
A pesquisa revelou ainda que a falta de sexo no casamento é o principal motivo para a traição, com 61% das respostas. Em seguida, vem o fim da paixão (35%), a dificuldade em se comunicar (26%) e a incompreensão na relação (19%). Sobre a participação no Second Love, a maioria revelou querer apenas uma relação casual, sem compromisso.

Fonte: Toda Ela

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Pensar em sexo faz bem para o cérebro; veja 9 benefícios




Fazer sexo não é necessariamente o melhor exercício para eliminar uma quantidade grande de calorias – um artigo publicado no New England Journal of Medicine, no último mês de janeiro, desbancou o mito de que a atividade tenha algum efeito milagroso nesse sentido.

Mas isso não é motivo para desistir dele: existem diversos outros benefícios que fazem da atividade um bom motivo para se exercitar, ainda que pouco. Veja 9 deles, reunidos pelo site Huffington Post.

1. Faz com que você se sinta bem
Se você conhece o seu corpo e está animada com a pessoa que você está dormindo, você com certeza terá bons momentos.

2. Apenas pensar em sexo faz bem para o cérebro
Em 2009, o pesquisador Jens Förster descobriu que as pessoas que têm o hábito de pensar em sexo têm um desempenho melhor em tarefas que exigem o raciocínio.

3. Ajuda a viver mais
Um estudo publicado em 1993 mostrou que homens que faziam sexo com mais frequência viveram mais, e mulheres que afirmaram ter uma vida sexual satisfatória viveram de sete a oito anos a mais do que as que se sentiam indiferentes com quanto ao sexo.

4. Reduz as dores
A oxitocina, hormônio liberado durante o sexo, é um analgésico natural. Em 1985, a sexóloga Beverly Whipple descobriu que, depois do orgasmo, a tolerância das mulheres à dor aumentou de forma significante.

5. Diminui o estresse
Um estudo conduzido pelo psicólogo Stuart Brody em 2006 provou que pessoas que tinham feito sexo demostraram menor pressão sanguínea quando expostas a situações de estresse.

6. Mantém as pessoas mais jovens
No ano de 2002, David Weeks, do Royal Edinburgh Hospital, conduziu um estudo que mostrou que casais que faziam sexo três vezes por semana pareciam 10 anos mais jovens do que adultos que faziam sexo duas vezes por semana ou menos. “O prazer derivado do sexo é um fator crucial para preservar a juventude. Ele nos deixa felizes e produz substâncias químicas que nos dizem isso”, afirmou Weeks.

7. Reforça a imunidade
Em 2004, pesquisadores da Wilkes University descobriram que pessoas que faziam sexo uma ou duas vezes por semana mostraram níveis mais altos de um anticorpo chamado imunoglobulina A, do que aqueles que tinham relações sexuais menos frequentes. Este anticorpo atua como uma importante proteção contra doenças.

8. Auxilia no sono
De acordo com Laura Berman, diretora do Berman Center for Women’s Sexual Health, a endorfina liberada durante o sexo ajuda as pessoas a dormirem melhor.

9. Com camisinha é prazeroso da mesma forma
Especialistas da Indiana University concluíram, no último mês de janeiro, que fazer sexo com camisinha pode ser tão satisfatório do que fazer sem. Com prazer e segurança, o casal só tem a ganhar. 

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Eles também fingem: orgasmo e ejaculação não são a mesma coisa; entenda


Uma encenação bem feita por uma mulher pode enganar qualquer um! E essa é uma das maiores inquietações dos homens: eles são loucos para saber quando é que nós fingimos orgasmo. A má notícia é que não estamos completamente livres dessa preocupação: eles também podem fingir!
Isso porque, ao contrário do que a maioria pensa, o orgasmo e a ejaculação não são a mesma coisa. “O orgasmo é o ápice do prazer, que mexe com o organismo do homem, enquanto a ejaculação é o processo de expelir esperma. Eles vêm juntos, na maioria dos casos, mas são coisas distintas”, explica o urologista Dr. Orestes Mazzariol.
Segundo o especialista, esses casos são raros e podem ter diferentes causas. O homem que ejacula sem sentir prazer pode ter como causa motivos psicológicos – ele não consegue chegar ao orgasmo porque não está completamente envolvido e à vontade com o momento, seja por crenças religiosas ou pela própria formação sexual – ou orgânicos – alguns remédios podem causar isso, assim como doenças cerebrais, como Parkinson.
Já os homens que sentem prazer, mas não chegam a expelir o líquido pelo pênis, podem sofrer com doenças como diabetes. Também pode surgir o problema em quem toma medicação que pode promover esse risco ou já passou por uma cirurgia de próstata. No caso da diabetes ou da cirurgia, o caso não pode ser contornado.
Para as mulheres, não é muito fácil descobrir que o parceiro não gozou. Se ele fingir e for um bom ator, é quase certo que você vai cair. Mas existem alguns sinais para os quais você pode ficar atenta para saber se o homem realmente atingiu o ápice. É o que ensina o Dr. Mazzariol. “O orgasmo promove a liberação do sistema nervoso simpático, que libera adrenalina, dilata a pupila, promove arrepios pelo corpo e, o mais notável, aumenta a frequência cardíaca”.
Bolsa de Mulher

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Bons motivos para você beijar mais no Valentine's day


Além de deixar o astral lá em cima, o beijo melhora a circulação e te protege de doenças

Que beijo é uma delícia, todo mundo já sabe, mas e os benefícios que ele traz para a saúde, você conhece? Esse gesto de carinho – quando praticado com amor e cumplicidade – pode desencadear reações no corpo todo, produzindo bem-estar, confiança e unindo ainda mais o casal. “A boca tem o mesmo número de terminações nervosas que a glande do pênis e o clitóris e, por isso, também é um canal de prazer”, conta o ginecologista e sexólogo Amaury Mendes Junior, do ambulatório de sexologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Conheça os benefícios dessa demonstração de afeto.

Melhora a circulação 

A excitação que acontece durante um beijo provoca uma vasodilatação no corpo todo. A abertura dos vasos, juntamente com a aceleração da frequência cardíaca, contribui para o aumento da quantidade de sangue oferecida aos tecidos. “Essa intensificação da circulação nutre as células e até ameniza dores no corpo, como a enxaqueca e a dor de cabeça “, explica Amaury Mendes

Previne e ameniza rugas 

Um beijo apaixonado e cheio de cumplicidade movimenta 29 músculos da língua e do rosto. O gesto cheio de boas emoções, além de gastar calorias, funciona como uma ginástica facial. “Beijar combate a flacidez e a movimentação aumenta a circulação sanguínea no rosto, nutrindo as células e evitando o envelhecimento precoce e as rugas“, explica o sexólogo Amaury.

Libera hormônios do prazer

O beijo libera os hormônios dopamina, epinefrina e ocitocina. “Respectivamente, esses hormônios atuam estimulando, gerando sensação de prazer e estabelecendo o vínculo entre o casal”, explica o sexólogo Amaury. É um momento de plena intimidade que está ligado a uma série sensações, como calor, frio na barriga, ansiedade, arrepios e excitação.

Ajuda a expressar as emoções 

O beijo está ligado à expressão emocional, mas, por si só, não é suficiente para expressar todo o conteúdo amoroso, emocional e afetivo. Ele é, portanto, um aspecto da demonstração de afeto. “Em conjunto com a capacidade de lidar com as emoções de maneira verbal e direta, o ato beijar pode ser responsável pela qualidade de qualquer relação humana”, conta o psicólogo Diego.
Fonte: Minha Vida

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Massagens estimulantes



Você já pensou que uma massagem, além de relaxar, pode ajudar a esquentar – e muito – a relação do casal? Veja algumas dicas e deixe sua relação mais gostosa

Para ela: como os pés  são muito sensíveis, uma massagem neles pode levá-la à loucura, especialmente nos tornozelos.
Para ele: ao fazer uma massagem nele, comece pela base da coluna. Procure aqueles lugares onde a pele afunda um pouquinho e pressione-os de leve: existem terminações nervosas que ligam essas regiões aos genitais.

Fonte: Revista Ana Maria

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Pílula do dia seguinte é uma bomba hormonal no corpo da mulher



A pílula do dia seguinte é um contraceptivo que só deve ser usado em casos extremos. Ela não faz bem à saúde da mulher, pois é uma bomba de hormônios. Usada em casos de esquecimento da pílula convencional ou rompimento da camisinha, por exemplo, ela é um método de emergência. Por isso mesmo costuma levantar muitas dúvidas quanto ao modo de usar, sua eficácia e riscos. Para esclarecer melhor o tema, conversamos com a ginecologista e obstetra Dra. Karina Zulli. Veja os tópicos:
Preservativo X pílula do dia seguinte
O uso do preservativo deve ser regra em toda relação sexual. Além de evitar a gravidez indesejada, ele previne todas as doenças sexualmente transmissíveis. Já a pílula do dia seguinte só protege de uma gravidez indesejada. Ela deve ser tomada somente em casos extremos.
Pílula anticoncepcional X pílula do dia seguinte
A pílula do dia seguinte cai como uma “bomba” hormonal em nosso corpo. Um comprimido dela equivale a 10 comprimidos de anticoncepcional comum. Ela é composta de dosagens hormonais muito altas, isso aumenta a chance de trombose, câncer, náuseas, vômitos e outras doenças. O correto é fazer o uso do anticoncepcional mensalmente e evitar, ao máximo, o uso da pílula do dia seguinte.
Mesmo tomando a pílula do dia seguinte é possível engravidar?
Sim. Como todo método há um risco de falha. A chance de engravidar é de 3 a 5% se ingerida respeitando os horários corretos contidos na bula.
Se eu tomar repetidas vezes ela perde o efeito?
Não. A pílula do dia seguinte não tem um efeito de “acúmulo” no corpo da mulher. A pílula não deixará de ser menos eficaz. O que acontece é que a mulher acaba se expondo a uma situação recorrente e que prejudica, e muito, o corpo dela.  O uso da pílula do dia seguinte não faz bem a saúde da mulher. Mas mesmo assim, elas tomam a pílula para evitar uma gravidez indesejada.
Ela é um método abortivo?
Não. Se a mulher estiver grávida e tomar a pílula do dia seguinte não surtirá efeito algum. As substâncias medicamentosas que têm na pílula não passam ao bebê.
Preciso de receita médica para comprar a pílula?
Sempre com a orientação médica, porém farmácias não fazem restrição nenhuma. É importante lembrar que sempre antes de ingerir a pílula do dia seguinte é imprescindível que você consulte o seu ginecologista. A pílula pode dar vários efeitos colaterais na mulher.
Como a pílula deve ser tomada?
Existem dois tipos de pílula do dia seguinte: uma em uma dose única que deve ser tomada em até 72h após a relação sexual e, a outra, em duas doses. Sendo um comprimido ingerido logo após a relação e o outro 12h depois. Mas ressalto que antes de comprar o medicamento consulte o seu médico. Isso é de extrema importância.

Bolsa de Mulher

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Sorteio da semana


O sortudo da semana passada foi o Thiago Fachini, que ganhou a cortesia e vai poder desfrutar 2 horas em qualquer suíte do Vênus Motel.




Se você ainda não ganhou nossa cortesia? Fique atento: toda semana sorteamos cortesias para qualquer uma de nossas suítes! Você pode participar de nossos sorteios de 2 maneiras:
  1. Curta nossa página no facebook, neste endereço: http://www.facebook.com/pages/V%C3%AAnus-Motel/124581354301601      OU
  2. Participe do blog, vá até a página inicialclique em 'PARTICIPAR DESTE SITE' (na lateral direita do blog) e preencha com seus dados.
Obs.: A cortesia tem validade de 7 dias.

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Orgasmos múltiplos existem e podem ser sentidos por todas



Orgasmos múltiplos, como o próprio nome indica, é quando a mulher goza mais de uma vez na sequência. O intervalo entre um orgasmo e outro varia em cada mulher e pode demorar segundos ou minutos.


“Qualquer mulher tem capacidade de atingir o orgasmo múltiplo, basta que ela continue sendo estimulada e que sinta vontade de dar continuidade”, revela a sexóloga e psicóloga Carla Cecarello. “O problema é que algumas mulheres têm dificuldade de atingir até o primeiro orgasmo, que dirá os seguintes”, completa.
Segundo a especialista, não existe fórmula mágica para chegar lá. “A posição mais propícia é aquela que a mulher gosta mais, em que sente mais prazer”, indica. “Se ela teve um orgasmo e continuou sendo estimulada, já é meio caminho andando, pois o corpo está bem excitado e aquecido e não requer mais tanto trabalho”, completa. Carla também ressalta que um fator muito importante é a disposição da própria mulher de dar continuidade aos estímulos, uma vez que a relação pode ter sido cansativa e desgastante.
Para aprender como chegar aos orgasmos múltiplos, a psicóloga e sexóloga explica que a mulher precisa conhecer bem o seu corpo. “A masturbação ajuda muito neste processo, pois vai permitir que a mulher descubra os tipos de movimento, a intensidade e as maneiras que mais gosta de ser estimulada”, recomenda.
No entanto, é importante lembrar que os orgasmos múltiplos não são, necessariamente, mais prazerosos do que um único orgasmo e nem sinônimo de que a mulher seja melhor na cama. “Ela tem que se preocupar em ter um orgasmo e que seja muito prazeroso, até porque os orgasmos seguintes normalmente vêm mais enfraquecidos, pois ela já dispensou muita energia”, explica.
Dificuldade para chegar lá

A especialista diz que é comum atingir picos de prazer durante a relação, mas que há uma grande diferença entre estes e os orgasmos. “A mulher que está em dúvida se já teve ou não um orgasmo, provavelmente não teve”, comenta.
A condição em que a mulher tem dificuldade em gozar é chamada de “anorgasmia” e pode ser dividida em três classificações:
Primária: a mulher nunca teve um orgasmo desde que iniciou sua vida sexual;
Secundária: a mulher já teve um orgasmo, mas, por algum acontecimento na sua vida, parou de ter;
Situacional: a mulher só consegue gozar em situações específicas, por exemplo, durante a masturbação ou em uma única posição sexual.
Segundo a especialista, este impedimento não está relacionado a condições físicas, ao contrário do que as pessoas pensam. “O orgasmo é uma questão totalmente psicológica. É entrega, é o momento em que perdemos a consciência em questão de segundos”, define a profissional, que prossegue dizendo que tanto a mulher quanto o homem podem sofrer com este bloqueio emocional, muitas vezes por não conseguirem relaxar e se soltar.

Bolsa de Mulher