sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Traumas amorosos? Jogue todos fora!


Depois de viver uma decepção amorosa, se libertar dos traumas do passado e esperar o novo de braços abertos não é uma coisa muito fácil de fazer. Sofrer outra vez, passar pelas mesmas experiências dolorosas, perder a confiança no parceiro (a) ou mesmo acreditar que é possível ser feliz a dois podem ser os principais medos e traumas que o fim de relacionamentos turbulentos pode causar tanto em homens quanto mulheres.
Afinal, quem nunca prometeu após o término do namoro nunca mais se apaixonar? Provavelmente você já passou por isso.
Pois é, mesmo que o receio de se entregar a um novo amor por medo de passar pelos mesmos acontecimentos seja uma coisa normal, se livrar de todos os "e se" é o primeiro passo para ter um relacionamento mais saudável na próxima vez. De acordo com a especialista em comportamento humano Roselake Leiros, reviver os conflitos da relação passada, pensar se um dia conseguirá se envolver com outra pessoa novamente, se culpar, culpar o ex-parceiro/ parceira e cogitar possibilidades são atitudes comuns de quem acabou de se magoar em uma relação a dois. Mas a melhor para se livrar dessas atitudesque podem intoxicar o novo relacionamento, ela afirma que a melhor saída é encará-los de frente. "Reconhecer e admitir conflitos são o primeiro passo. Em seguida, olhar a situação de fora, como num filme, avaliá-la e aprender com ela", ensina.



Ainda segundo a especialista, quando a situação é vista de fora, na qual a observamos sem nos contaminar com as emoções e dores vividas fica mais fácil reconhecer a parte que cabe a cada um dos dois para o fim da união e, de fato, aprender verdadeiramente com a experiência. "Estes aprendizados trazem confiança e vão garantir a construção de um melhor relacionamento futuro. Esse tipo de avaliação sincera possibilita assumir para si os 50% da responsabilidade que lhe cabe e aprender com isso, tornado-se uma parceria (o) melhor da próxima vez", afirma.
Para as mulheres que terminaram o relacionamento há um tempo e mesmo assim não se recuperaram, nada de encanar com a solterice. Segundo Roselake, as mulheres geralmente tendem a prolongar a dor, pois são mais emotivas. Já os homens têm um pensamento mais realista e racional. Para a especialista, a mulher tem tendência de ficar revivendo muito tempo os fatos do passado e considerando hipóteses. "Este tipo de comportamento não traz aprendizados, só favorece o sentimento de vítima, de culpa e faz com que se perca a dimensão da realidade", explica.
Se o término de um relacionamento já é difícil, insistir em reviver mentalmente os problemas e se autoflagelar pelos acontecimentos não vai adiantar muito e você só vai estender o sofrimento por mais tempo. Apesar de ser bastante comum se referir ao passado com palavras desrespeitosas e guardar os sentimentos negativos com mais força na memória do que os bons momentos, saiba que essa atitude só aprisiona o seu coração, impedindo que a vida flua e siga rumo à felicidade. "Aprenda com o passado e se abra para o novo sempre confiando e respeitando cada parte envolvida, assuma isso zelando por seu bem estar em primeiro lugar e incondicionalmente", conclui.
Fonte: Vila dois

Nenhum comentário:

Postar um comentário